22/04/2011

Detecção Precoce para o Câncer de Endométrio

O QUE É DETECÇÃO PRECOCE OU SCREENING DE UM TIPO DE CÂNCER?
Detecção precoce ou screening para um tipo de câncer é o processo de procurar um determinado tipo de câncer na sua fase inicial, antes mesmo que ele cause algum tipo de sintoma. Em alguns tipos de câncer, o médico pode avaliar qual grupo de pessoas correm mais risco de desenvolver um tipo específico de câncer por causa de sua história familiar, por causa das doenças que já teve ou por causa dos hábitos que tem, como fumar, consumir bebidas de álcool ou comer dieta rica em gorduras.
A isso se chama fatores de risco e as pessoas que têm esses fatores pertencem a um grupo de risco. Para essas pessoas, o médico pode indicar um determinado teste ou exame para detecção precoce daquele câncer e com que freqüência esse teste ou exame deve ser feito. Para a maioria dos cânceres, quanto mais cedo (quanto mais precoce) se diagnostica o câncer, mais chance essa doença tem de ser combatida.


QUAL É O TESTE QUE DIAGNOSTICA PRECOCEMENTE O CÂNCER DE ENDOMÉTRIO?
O útero fica na região inferior do abdômen, na pequena pelve, junto da bexiga, e se abre na vagina pelo colo uterino. Apesar de o útero ser formado de outras partes, como o músculo e a camada externa que recobre o útero por fora, o endométrio é a porção que mais comumente pode sofrer transformações que, por sua vez, podem tornar-se um câncer.
Existem vários exames que o médico pode fazer para examinar o endométrio e o útero por dentro, tais como, a ecografia transvaginal, a coleta de material para biópsia por aspiração do endométrio, o Papanicolau e a curetagem. Nenhum destes exames é utilizado para se fazer detecção precoce de câncer de endométrio, porque os estudos realizados não comprovaram que fazer esses exames regularmente em mulheres sem nenhum tipo de sintoma, diminua a mortalidade dessas mulheres por esse tipo de tumor.
Porém, toda a mulher que já entrou na menopausa, ou seja, parou de menstruar regularmente em definitivo, e apresentar um sangramento, deve fazer um desses exames para esclarecer a causa deste sangramento anormal.
O médico dessa paciente definirá qual o melhor exame a fazer, e quando.
Nunca deixe de procurar o médico numa situação dessas.
COMO O MÉDICO FAZ ESTE EXAME?
O exame de Papanicolau é feito por um médico ou um técnico treinado para isto, num consultório ou ambulatório. Durante um exame vaginal, antes do exame de toque, um aparelho chamado espéculo vaginal é introduzido na vagina para que o colo uterino seja facilmente visualizado. Com uma espátula e/ou uma escova especial, o médico coleta algumas células do colo uterino e da vagina e as coloca numa lâmina de vidro. Essa lâmina com as células é examinada em um microscópio para que sejam identificadas anormalidades que sugiram que um câncer possa se desenvolver ou que já esteja presente.
Apesar de não ser específico para detecção de câncer de endométrio, algumas células de dentro do útero podem ser visualizadas nesse exame e devem ser avaliadas quanto à presença de alguma alteração sugestiva de neoplasia.
Sempre que células do endométrio são encontradas num exame de Papanicolau, de uma mulher na menopausa que não esteja tomando hormônios, mais exames devem ser realizadas para comprovar que não há nada de anormal.

ultra-sonografia ou eco-grafia transvaginal é um exame em que um transdutor (aparelho que emite uma onda sonora e o seu eco é captado pelo mesmo aparelho para gerar uma imagem na tela de um monitor) é introduzido na vagina da paciente, assim como um espéculo, e o útero, as trompas e os ovários são visualizados para se detectar alterações. Esse exame pode ser usado para diagnosticar a causa de um sangramento vaginal anormal. Porém, não é utilizado para screening.
biópsia e a curetagem do endométrio são exames em que material de dentro do útero é coletado para ser examinado por um patologista.
Informações mais detalhadas sobre esses exames estão em artigos da área de ginecologia.


QUAIS OS FATORES DE RISCO MAIS COMUNS ASSOCIADOS AO CÂNCER DE ENDOMÉTRIO?
Idade:
O risco de ter câncer de endométrio, como a maioria dos cânceres, por serem uma doença crônico-degenerativa e, portanto, necessitarem de um longo tempo para se desenvolverem, aumenta com a idade.
História Ginecológica:
Menstruar muito cedo, entrar na menopausa muito tarde ou não ter tido filho, são fatores de aumento de risco desse tipo de câncer. A idade que define este "cedo" ou "tarde" varia um pouco em cada população.
Dieta e estilo de vida:
Mulheres que estão acima do seu peso ideal ou que consomem muita gordura na sua dieta tem um risco aumentado para o câncer de endométrio.
Predisposição genética:

Mulheres que tem o gen de uma doença conhecida como câncer coloretal não-polipóide hereditário têm mais chance de ter câncer de endométrio. Para saber se a pessoa tem esse tipo de gen, é necessário fazer exames especiais e o médico indicará estes exames se a história de câncer na sua família for sugestiva para esta doença.

Uso de Hormônios:
Algumas mulheres utilizam hormônios, como o estrogênio, indicado pelo seu médico. Mulheres que fazem uso de terapia de reposição hormonal com estrogênio sem progesterona têm risco aumentado para esse tipo de tumor. O uso de Tamoxifen, uma medicação para tratar ou prevenir câncer de mama, também aumenta este risco.
Raça:
Apesar de mulheres negras terem menos câncer de endométrio, esse tumor geralmente tem uma evolução mais grave nessas mulheres. Por isso, as mulheres negras têm mais chance de morrer do que as brancas, quando diagnosticadas com este tipo de tumor.


3 Perguntas QUE VOCÊ PODE FAZER AO SEU MÉDICO:
1-Minha mãe teve câncer de útero. Eu devo fazer algum exame especial por causa disso?
2-Eu faço terapia de reposição hormonal. Eu devo fazer algum exame especial por causa disso?
3-Qual a diferença entre ecografia transvaginal e ecografia normal? 

0 Comentários: