21 de abr de 2011

Chocolate amigo do coração

Fica difícil resistir à tentação. Entretanto, o doce que é uma preferência mundial não está mais entre os grandes vilões da saúde. O chocolate amargo, feito com 70% de cacau, chegou para tornar essa delícia uma aliada do coração. Mas atenção: especialistas ressaltam que, para ser benéfico, o consumo deve ser moderado.
Por ser rico em flavonoides, substâncias também encontradas na casca de uvas vermelhas e que ajudam a combater os radicais livres, o chocolate amargo, desde que consumido na dose certa, ajuda a prevenir o acúmulo de gordura nas artérias, importante causa de infartos e derrames. Além disso, contém grande quantidade de polifenol, antioxidante que se mostrou eficaz no combate à hipertensão. Essas vantagens são encontradas apenas no consumo da versão amarga, que, além de possuir menos açúcar, possui o triplo de antioxidantes que o chocolate ao leite e o branco.
A quantidade certa a ser consumida ainda gera dúvidas entre os especialistas. Alguns afirmam que 30 g por semana do alimento são suficientes para aproveitar esses benefícios; outros, que essa mesma quantidade pode ser diária. O importante é ressaltar que, apesar das vantagens, o chocolate amargo continua sendo rico em gordura e seu consumo exagerado pode acarretar ganho de peso e aumento dos níveis de colesterol.
Assim, se o seu exame de sangue já demonstrou aumento nas taxas de colesterol, é melhor evitar as delícias da Páscoa ou só consumi-las moderadamente.

0 Comentários: