26 de abr de 2011

Dicas Para o Casal


Mulher
1 - Mulheres, atenção aos alimentos light: ainda que eles contribuam no emagrecimento, por outro lado, dificultam a fertilidade, pois são pobres em gorduras boas. Estas gorduras são aquelas de origem vegetal, não industrializadas, e matérias-primas para a formação dos hormônios. Elas são encontradas em cereais e grãos, azeite e também em sementes (óleo de girassol, de gergelim, de linhaça), plantas oleaginosas e em frutas como o abacate.
2 - O consumo de café pode afetar a capacidade de conseguir engravidar e de prosseguir com a gravidez. Estudos em animais e humanos mostraram um risco maior de aborto espontâneo associado a um maior consumo de cafeína, bem como uma diminuição no crescimento fetal. O consumo de três ou menos cafés por dia pode ser inofensivo, mas mais do que esta quantidade pode causar problemas de fertilidade.
3 - Alguns alimentos contribuem na formação dos hormônios sexuais femininos, incremente o cardápio com castanha, noz, avelã, amêndoa, amendoim, azeite de oliva, azeitona, abacate. Para os homens os alimentos recomendados são ovo, carne vermelha, queijo, mel e mariscos.
4 - Sorvete ajuda a melhorar a fertilidade feminina. Mulheres que consomem pelo menos duas porções de sorvete têm cerca de 80% mais chances de ovular e engravidar do que as que não tomaram sorvete. Isso ocorre por que a gordura existente no sorvete facilita a produção de hormônios sexuais, aumenta a fertilidade feminina e melhora o funcionamento dos ovários, os quais ovulam com maior facilidade.
Homem
1 - Atenção aos produtos à base de soja: um estudo realizado por cientistas da Universidade de Harvard, Estados Unidos, revela que homens que comem produtos à base de soja podem ter um número de espermatozóides reduzido pela metade. De acordo com o coordenador do estudo Jorge Chavarro, uma substância química chamada isoflavona, presente em alimentos à base de soja como o tofu ou o leite, vindo a interferir na produção de esperma. Essas substâncias, podem ter efeitos similares aos do estrogênio e reproduzir sua ação no organismo, o que afetaria a produção do esperma.
2 - A Sociedade de Medicina Reprodutiva Americana (ASRM) divulgou uma pesquisa em que foi comprovado que uma alimentação saudável pode aumentar consideravelmente a fertilidade masculina. O estudo mostra uma vertente médica que aposta em uma dieta balanceada para elevar as chances de gravidez. Nesse menu da fertilidade, estão alguns itens fundamentais, entre eles, comidas que contém ácido fólico (espinafre e feijão), zinco (germe de trigo e carne vermelha), vitaminas B6 (banana e frango), B12 (fígado e atum enlatado) e C (frutas cítricas), além de opções ricas em boro (soja, maçã, pêra e nozes).
Casal
1 - Atenção para o peso: tanto homens quanto mulheres que estão acima ou abaixo do peso recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), podem ter a fertilidade comprometida. No caso das mulheres que estão acima do peso, por exemplo, a explicação se dá ao fato de que a gordura consome muito hormônio, o que dificulta a estimulação dos ovários.
2 - A ingestão de proteínas é fundamental para incrementar a fertilidade, pois é um nutriente básico da vida. Tudo no nosso organismo é formado por proteína, inclusive os nossos hormônios. Elas são encontradas nas carnes brancas e vermelhas, nos ovos, queijos, leite, soja, leguminosas, oleaginosas, entre outros.
Mulher
1- O sistema reprodutor feminino depende do funcionamento correto de todo o corpo, mas principalmente de quatro partes específicas: o cérebro, o ovário, as tubas de Falópio e o útero. É importante ir ao médico periodicamente, fazer exames e conferir se está tudo certo com eles.
2 - Todo mundo já está cansado de saber disso, mas não custa nada reforçar: tabagismo e saúde não combinam, ainda mais para quem pretende gerar uma criança. O vício do tabaco pode levar a mulher a entrar na menopausa muito mais cedo que o normal e assim interromper as chances de ela engravidar. Além disso, o cigarro também contribui no desenvolvimento de câncer no colo de útero. Mulheres que convivem com fumantes também devem ficar atentas, pois estudos comprovaram que elas estão mais vulneráveis a terem abortos precoces.
3 - Você já pensou que aquela dose de caipirinha no churrasco pode prejudicar os seus planos de ser mãe? Especialistas explicam que o álcool dificulta a fecundação por ser tóxico para o aparelho reprodutor, além de desregular o ciclo menstrual. Acima de duas doses nos fins de semana (caipirinha, vinho, cerveja ou vodca, por exemplo), já é considerado prejudicial.
4 - Inspire fundo e relaxe. Algumas mulheres afirmam que só ficaram grávidas quando aprenderam a relaxar. Aprender a relaxar serve para diminuir o stress e a ansiedade, fatores que atrapalham tanto a fertilidade quanto a gravidez.
Homem
1 - Homens devem evitar o uso de laptops em excesso apoiados no colo. As pesquisas mostraram que o uso da máquina pode aumentar a temperatura do testículo, reduzindo a quantidade e qualidade do sêmen.
2 - Homens devem estar atentos à diabetes: a infertilidade passou a figurar na lista de complicações relacionadas à doença, segundo uma pesquisa realizada na Queen University, de Belfast (Irlanda do Norte). Segundo o estudo, além da quantidade de sêmen produzido por diabéticos ser menor, a doença danifica o material genético do esperma. É importante ressaltar que o risco é reduzido quando o diabético leva o tratamento com rigor, chegando a se aproximar muito do indivíduo normal.
3 - Homens que tomam mais de um litro por dia de refrigerante do tipo cola tendem a produzir cerca de 30% menos esperma do que aqueles que bebem menos. Isso é o que constatou um estudo alemão publicado no American Journal of Epidemiology. Os cientistas ressalvam que o resultado pouco tem a ver com a cafeína presente nesse tipo de bebida - já que o café e o chá não causam o mesmo efeito nos homens. A queda no número de espermas estaria ligada, também, aos hábitos de vida: os voluntários que bebiam mais refrigerante de cola tendiam a comer mais comidas calóricas e gordurosas do que os demais.
Casal
1 - O peso hoje é uma das formas de medir a saúde da pessoa. Fala- se muito em obesidade, mas o contrário, uma pessoa muito magra, pode também ter problemas de saúde, inclusive com a fertilidade. O grau com que a perda de peso afeta a fertilidade pode variar, dependendo do grau de subnutrição e a velocidade com que se deu a perda de peso, porém já se sabe que a transmissão de mensagens hormonais que o cérebro envia aos ovários e aos testículos é reduzida. Em alguns casos, a ovulação simplesmente pode não ocorrer na mulher, desestabilizando o ciclo menstrual. Nos homens, esta situação já foi associada à queda na produção de espermatozóides.
2 - Fuja da poluição, sempre que possível. A má qualidade do ar é capaz de influenciar a infertilidade, principalmente nos homens. Segundo especialistas, a poluição é uma das causas modernas mais graves da infertilidade masculina. A poluição dos automóveis brasileiros é um dos agravantes, pois a gasolina nacional contém uma grande quantidade de metais pesados, o que afeta diretamente o organismo. O uso de máscaras com filtros é recomendado para quem é muito exposto à poluição.
3 - Substâncias químicas perigosas estão dentro de casa e podem reduzir fertilidade de homens e mulheres. Pesquisadores da Universidade da Califórnia (UCLA) divulgaram estudo comprovando evidências de que substâncias perfluoradas podem comprometer a fertilidade. O problema é que esses compostos químicos podem ser encontrados em abundância dentro de todos os lares: estão na panela antiaderente, no estofamento dos carros e sofás, nos colchões, nos produtos de limpeza, de higiene pessoal e em algumas maquiagens também. Estas substâncias diminuem a produção de espermatozóides no homem, reduzem a fertilidade feminina e dificultam inclusive o sucesso dos tratamentos de fertilização.
4 - Estudos mostram efeito benéfico da Acupuntura na infertilidade, tanto para causa masculina quanto feminina. Antiga terapia que surgiu na China há mais de 2 mil anos, a acupuntura consiste na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo. Segundo uma análise da literatura médica, a acupuntura, no caso das mulheres, pode ajudar a reduzir o estresse, aumentar o fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos e ajudar a normalizar a ovulação, fatores necessários para a concepção de um bebê.
5 - Os aspectos emocionais são fundamentais no tratamento da infertilidade, portanto, além de cuidar do corpo, cuide também da sua mente. Em muitos casos, o acompanhamento psicológico é definitivo.
6 - O peso que a sociedade impõe na infertilidade causa a sensação de que tudo deve estar perfeito na vida dos casais. Ou até mesmo que isso é o reflexo de algum outro problema no casal. Procure um médico e esclareça a causa da baixa fertilidade ou infertilidade sua ou do seu parceiro. A medicina já oferece muitos tratamentos eficazes na maioria dos casos. E, principalmente, entenda que a infertilidade é cada vez mais comum no mundo, por uma série de fatores relacionados à vida moderna.
7 - Você procurou tratamento médico mas as primeiras tentativas ainda não deram resultado? Mantenha-se calma, o tratamento da infertilidade, em muitos casos, requer mais de uma tentativa. E lembre-se: infertilidade não foi feita para ser temida, mas sim para ser tratada.
8 - O médico disse que não há nenhuma causa aparente para a sua infertilidade ou a do seu parceiro(a)? Não se assuste, isso é mais comum do que possa parecer: aproximadamente um em cada dez casais sofrem de infertilidade sem causa aparente, mesmo completando a investigação padrão de infertilidade.
9 - Pesquise sobre infertilidade e converse com outras pessoas sobre o assunto. Explique a elas que a infertilidade é uma condição médica, não um distúrbio sexual. Diga também que a evolução das técnicas de reprodução humana e dos métodos diagnósticos tornou mais fácil esclarecer e tratar as causas de infertilidade. Informação é a melhor atitude para tratar o preconceito e alcançar a compreensão.
Sexo
Casal
1 - Uma vida sexualmente saudável contribui para a fertilidade. Mulheres com Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) não tratadas, especialmente gonorréia e clamídia, têm também um maior risco de infertilidade. As escolhas que fazemos todos os dias têm um impacto positivo, ou negativo, na nossa capacidade de conceber. Tome as decisões certas e desfrute de uma melhor saúde reprodutiva.
2 - Há certas posições sexuais que podem ajudar quem busca a gravidez. Os especialistas recomendam evitar sexo em posições contrárias à gravidade, já que estas diminuem a probabilidade de os espermatozóides chegarem ao colo do útero. Uma posição ideal é a do homem por cima da mulher, porque ela permite que a penetração seja mais profunda. Outro modo de aumentar a exposição do colo aos espermatozóides, é manter relações deitados, um ao lado do outro.
3 - Tome tempo para se sincronizar. Há uma maior hipótese de engravidar pouco antes ou depois da etapa da ovulação do ciclo menstrual. Se quer determinar esses dias, pode fazer um cálculo simples. Se o seu ciclo durar 28 dias - a média feminina - e o seu primeiro dia de menstruação foi no final de Dezembro, digamos a 28, a provável data de ovulação é a 11 de Janeiro. Se o seu ciclo menstrual é de mais de 35 dias, menos de 21 dias ou irregular, deve consultar o seu médico.
4 - Aproveite o período fértil e pratique sexo em cada um desses dias. Espermatozóides fresquinhos serão aproveitados por um ovário pronto para recebê-los. A mistura de espermatozóides novos e período fértil aumenta as chances da mulher engravidar.
Esporte
Casal
1 - Atenção praticantes de esporte: a prática muito intensa de exercícios físicos pode causar problemas relacionados à diminuição da produção de espermatozóides e à ovulação. Entende-se por prática intensa de exercícios, segundo especialistas, como sendo duas horas diárias, sobretudo de esportes com grande esforço físico e concentração, como ginástica olímpica e balé clássico – por exemplo. A endorfina liberada nesses casos inibe a hipófise, que controla as glândulas de secreção endócrina do organismo, comprometendo a ovulação e a espermatogênese. Porém, é importante frisar que a prática regular de esporte não afeta a fertilidade humana.



0 Comentários: