30 de mai de 2012

Aderências nas Trompas



As aderências pélvicas são faixas anómalas de tecido cicatricial, que se formam na pélvis e fazem com que os órgãos fiquem colados ou unidos uns aos outros. As aderências ocorrem na maioria das mulheres que são submetidas a cirurgia pélvica. E, no entanto, muitas mulheres pouco sabem acerca das aderências e não discutem o assunto com os seus médicos antes de serem submetidas a uma cirurgia ginecológica (nem mais tarde, quando se desenvolvem esses problemas). Mas deveriam fazê-lo.


Como se formam as aderências? 

Todos os órgãos abdominais e pélvicos, excepto os ovários, estão pelo menos parcialmente envolvidos numa membrana transparente denominada peritoneu. Quando o peritoneu fica traumatizado durante uma cirurgia ou de qualquer outra forma, o local que sofre o trauma fica inflamado. A inflamação é normal, fazendo mesmo parte do processo de cicatrização. Mas a inflamação também contribui para a formação de aderências, encorajando o desenvolvimento de faixas fibrosas de tecido cicatricial (denominadas matriz de fibrina). 

Normalmente, estas faixas de fibrina acabam por se dissolver através de um processo bioquímico denominado fibrinólise, e o local traumatizado continua a cicatrizar. No entanto, por vezes, a natureza da cirurgia tem como resultado uma diminuição do afluxo de sangue a essas áreas (um problema denominado isquemia), que pode suprimir a fibrinólise. Se as faixas de fibrina não se dissolverem, podem transformar-se em aderências, que irão desenvolver-se ligando ou unindo órgãos ou tecidos pélvicos que normalmente estão separados.

As aderências são frequentes? 

As aderências são uma ocorrência comum após uma cirurgia pélvica ou abdominal. As aderências também são vulgares nas mulheres que sofrem de doença inflamatória pélvica (DIP), endometriose ou doenças sexualmente transmissíveis. As probabilidades de se formarem aderências após uma cirurgia e os problemas que daí podem resultar variam com base em variados factores - por exemplo, o tipo de cirurgia efectuado, o número de cirurgias efectuadas anteriormente, a técnica cirúrgica utilizada durante o procedimento e a sua própria predisposição individual para a formação de aderências.


Que problemas podem ser causados pelas aderências? 

Embora a maioria das aderências não causem problemas, podem dar origem a toda uma variedade de complicações potencialmente graves, incluindo:
  • Dor pélvica: As aderências são uma causa muito comum de dor pélvica - calcula-se que cerca de 38% das mulheres que sofrem de dor pélvica têm aderências. As aderências causam dor pélvica porque unem órgãos e tecidos que normalmente estão separados, "atando-os", essencialmente, de forma a que as pressões e os estiramentos inerentes aos movimentos do dia a dia irritam os nervos que se encontram mais próximos.
  • Dor durante as relações sexuais: As aderências também podem causar dores durante as relações sexuais (um problema denominado dispareunia).
  • Infertilidade: As aderências que se formam em resultado de alguns tipos de cirurgia ginecológica, especialmente cirurgias das trompas e cirurgias para remoção de fibromiomas (miomectomias), são uma causa muito comum de infertilidade. As aderências entre os ovários, as trompas de Falópio ou as paredes pélvicas podem bloquear a passagem do óvulo dos ovários para as trompas de Falópio e através destas. As aderências em torno das trompas de Falópio também podem dificultar ou impossibilitar a chegada do esperma ao óvulo.
Imagem Aderências nos órgãos pélvicos
O que pode causar aderências?
A endometriose é uma condição em que porções de tecido semelhante ao endométrio se unem às superfícies de outros órgãos na pélvis (como os ovários e as trompas de Falópio) e na cavidade abdominal. A endometriose pode desenvolver-se com estimulação hormonal, provocando dor, inflamação e tecido cicatricial, e também pode provocar infertilidade.

Como são tratadas as aderências?


A única forma de tratar as aderências consiste em removê-las ou separá-las através de cirurgia. Este procedimento denomina-se adesiólise/lise de aderências. Estudos têm demonstrado que as pacientes com dores pélvicas e aderências graves podem apresentar uma redução acentuada dos sintomas após adesiólise laparoscópica. Além disso, a infertilidade devido a aderências pélvicas pode ser tratada com sucesso através de adesiólise/lise de aderências em aproximadamente 40-60% das pacientes.
No entanto, uma das razões pelas quais as aderências são tão problemáticas é o facto de, em mais de 70% dos casos, elas voltarem a formar-se após a adesiólise. Consequentemente, a prevenção da formação de aderências tem uma importância crucial.

19 Comentários:

Anônimo disse...

1) Do que provem a ENDOMETRIOSE?
2) O fato de ter uma das trompas coladas pode provocar desconforto ou problemas à saúde da pessoa?
3) Se a pessoa se negar a fazer uma talvez cirurgia há risco de saúde para aportadora?

Soraia Costa disse...

Endometriose é a existência de endométrio em outras partes do corpo - como ovários, tubas (ou trompas), parte externa e parede do útero, bexiga, peritônio (revestimento interno do abdômen), diafragma, intestino delgado e reto. E podem surgir vários focos. A cada menstruação haverá sangramento onde existir endométrio.

Não, o único problema é que a trompa estando imóvel impedem a passagem do óvulo para a cavidade uterina como inflamações ou pode ocorrer a fertilização na trompa causando uma gravidez ectópica.

Sim, pois a dor pode ser grande e é aconselhável uma visita ao ginecologista especialista em endometriose.

Bjs e boa sorte!

Thamires Silva disse...

Bom Dia! Sofri um acidente de moto ha quatro meses, tive fratura na pelve e no punho por isso fiquei dois meses imobilizada com ficxadores externo, depois que tirei os ficxadores engravidei... Estou de dois meses e sinto dores que nao sentia depois da cirurgia... Tenho medo de ser uma gravidez arriscada e com mts dores... Tem como eu saber se vai ser uma gravidez totalmente normal?

Vanessa José disse...

Bom dia,

Tenho aderências, foi solicitado cirurgia, mas não sei grau que esta.
Posso engravidar mesmo assim?
Estou com sintomas de gravidez, mas ainda não fiz exame.

me ajudem por favor!
Vanessa

Sô Costa disse...

Thamires o ideal é vc ser acompanhada por um médico até o final da sua gravidez. Confie em Deus já deu tudo certo.

Sô Costa disse...

Vanessa José impossível não é, mais geralmente quem tem aderências tem muita dificuldade pra engravidar pois os cílios das trompas estão inflamados. Faz o seguinte espera o dia da mostra chegar se não vier faz um beta e boa sorte! Estarei aqui torcendo por vocês.

Anônimo disse...

Olá td bem? Obrigada por suas explicaçoes, tenho as trompas obstruidas ou seja o espermatozoide nao passa de forma alguma, e segundo o medico so mesmo com a fiv ou outros metodos porem nao quero fazer nada disso, a ficha ainda nao caiu pois tento engravidar e nada, isso ja tem 5 anos mais o medico afirma que n irei engravidar de forma natural e toda vez que minha mestruaçao vem é uma tristeza enorme no fundo eu sei que nao vou gerar uma criança mais tento e fico triste quando nao ocorre a tao sonhada gravidez,sera que existe alguma cirurgia q daria p reverter esta situaçao?o meu medico diz q nao mais nao acredito rs! Carla

Anônimo disse...

BOM DIA, POR CINCO ANOS TENTEI ENGRAVIDAR FIZ TUDO QUE ERA TIPO DE EXAME E NADA EU TINHA, ENTÃO TROQUEI DE MEDICA E ELA ME PEDIU UM EXAME CHAMADO HISTORISALPINGOGRAFIA PARA VER AS TROMPAS, AI EU É UM EXAME MUITO DOLORIDO, DAI APRESENTOU QUE EU TINHA ADERENCIA NAS TROMPAS QUE TERIA QUE FAZER UMA CIRUGIA PARA DES OBSTRUÇÃO DAS TROMPAS, E PARA MINHA SURPRESA UM MES DEPOIS DO EXAME EU ENGRAVIDEI SEM PRECISAR FAZER CIRUGIA, HOJE MINHA FILHA ESTA COM 4 ANINHOS UM PRESENTE DE DEUS

Anônimo disse...

eu tenho o mesmo problema. no meu exame apareceu que as trompas aparecem em posição alta, podendo caracterizar aderências. Mas tenho fé que conseguirei. Já chorei demais...

Anônimo disse...

Oi, Anonimas!! Ai, flores, tambem descobri ontem que minhas trompas tem aderencia bilateral. Estava tentando engravidar ha 7 meses...sempre tive ciclo normal, nunca apresentei problema algum mas minha Gineco disse que minhas trompas tambem estao altas e que eu dificilmente eu vou engravidar sem fazer uma laparoscopia. Ja chorei muito tambem porque nao esperava por isso. Sera mesmo que ha chance de engravidar sem cirurgia??? Anonima, se vc conseguiu engravidar entao e' possivel sim!!!!! Enquanto nao conseguir fazer a laparoscopia eu vou esperar um milagre.

bruna disse...

Olá, fiz a histerossalpingografia agora dia 20 de novembro e também deu aderencias bilaterais. Em junho engravidei mas perdi o bebe, então fiz uma curetagem em agosto, acredito que após a curetagem que apareceu as aderencias, minha médica disee que teria que fazer a laparoscopia ou FIV. Estou arrasada :( Por favor, se alguém engravidou sem fazer cirugia, por favor poste aqui. Nao quero fazer cirurgia. Bruna

Luciana lima roque disse...

ola,fiz a cirugia videolaparoscopia dia 13 de dezembro de 2013 e o resultado deu que estava com lise aderencia inflamaçao nas trompas meu medico disse que so nao tirou as duas trompas por que elas ainda estao funcionando e disse tbm que meus ovarios estavam tudo colado nas trompas.sera que agora consigo engravidar for favor me responda deus abençoe.

Anônimo disse...

Olá amigas, procuro a minha cura a muitos anos, em 2012 fiz uma ressonância e a minha médica falou que eu estaria com suspeita de endometriose pois tinha muita dor na relação sexual coisa que tenho até hoje, então fiz a videolaparoscopia fui diagnosticada, tinha aderência minhas trompas estavam totalmente fechadas sem a minima possibilidade de ter filhos, somente através de inseminação.
Mas ai eu me pergunto?
Nunca fiz cirurgia nenhuma antes da videolaparoscopia, não tive e nem tenho doenças(DST)como tenho aderência? Isso tudo me anceia a oito anos muita pesquisa em meu corpo e nada descubro, fiz a HISTEROSSALPINGOGRAFIA depois de 8 meses da videolaparoscopia, foi um exame horrível senti muitíssima dor e as minhas trompas continuavam fechadas a aderência tinha voltado mas da onde até nos dias de hoje não consegui resolver nada dos meus problemas de dor e inchaço na região do abdome estou desesperada na verdade não posso engravidar, não tenho prazer e afinal esses médicos são inexperientes não resolvem ou não entendem esse é meu desabafo.
Obrigado!

patricia vilela disse...

Olá meu nome é Patricia, depois de 4 anos da minha cesárea tive uma gravidez ectópica, foi necessário a retirada de uma das trompas. O médico disse q não poderei mais engravidar, pois a trompa direita q restou tem uma aderência muito grande, e q se eu engravidar a chance de ser ectópica de novo é muito grande. Não fui mais atrás, gostaria de saber se é verdade mesmo. Obrigada.

Anônimo disse...

Oi meninas, tenho 4 anos tentando engravidar e nada,e 2011 tive uma ectopica, tirei a tompra direita, mas até agora nada, comecei a fazer vários exames, utero ovarios normais, fiz uma histero e deu trompas esquerda com pova de trotte positiva desobistruidas mas minhas trompas estão altas, minha medica disse que pode ser aderencia e que tenho que fazer uma vio para ver estou assustada, quem já engravidou com trompas altas??abraços e boa sorte

Anônimo disse...

Oi gente! Sinto varias aderencias decorrentes de uma cirurgia de apendice, retirada de um cisto enorme pois tenho endometriose, curetagem apos aborto e uma infeccao pelvica muito seria. Minha ginecologista disse que seria dificil eu engravidar, que apos 6 meses de tentativa era pra eu nao perder mais tempo e voltar ao consultorio para fazer exames e provavelmente desobstruir as trompas. Tive relacao UMA vez sem protecao com meu marido! E estou gravida de 9 semanas! estou com medo do bebe nao estar crescendo no lugar certo, meu ultrassom e' daqui 10 dias (pois moro fora e aqui o primeiro ultrassom e' com 12 semanas. Bom, acho que vcs dvem visitar o medico e fazer o que for possivel para conseguir o sonho de vcs. Mas nao desanimem! Tudo tem sua hora e seu motivo!

Anônimo disse...

Olá,gostaria de saber se após fazer uma cirurgia de lise de aderência tubaria bilateral eu posso engravidar, o médico que fez a minha cirurgia, me disse que a trompa direita está muito aderida, e ele não fez nada para soltá-la, e a trompa dierita estava um pouco melhor que a outra, disse que passou um contrasre e que estava pervio o caminho, fiz essa cirurgia no dia 13 de março, e até hoje nada de engravidar, eu já menstruei duas vezes, estou triste porque acabei de fazer 41 anos ontem, o que pensar nessa situação.

alexandra disse...

olá,meu nome é alexandra tenho 40anos de idade e sem nenhum filho,pois engravidei em 2008 e com apenas 7semanas tive um aborto espontanio. daí me veio a ideia de ir atraz dos motivos,os,quais 2abortos. fiz vários exames e constou por uma histerossalpincografia com contraste que eu tinha uma das trompas obstruidas foi quando entrei numa cirurgia chamada videolaparoscopia onde descobriram aderencias que foram desfeitas mas que as 2trompas obstruidas...resumindo:no dia seguinte a médica disse que não teve exito para a desobstrução de nenhuma se quer e que no meu caso só poderia gerar um filho atravéz de uma insiminação INVITRO. Isto ocorreu no ano de 2011 e estes anos todos já tinha me conformado com o parecer médico e não pensava mais nisto...só que agora a 2dias depois da minha menstruação estar atrazada fui ao médico e descobri que estou GRAVIDA!!!provávelmenta seje de poucas semanas mas estou muito feliz porque todo o sofrimento hj está me valendo a pena.

Anônimo disse...

Boa noite, apesar de não ser sua função um exame chamado histerossalpingografia, que serve para verificar através de imagem o útero e as trompas, pode, devido à introdução de contraste (iodo), desobstruir as trompas, fiz esse exame e minhas trompas que estavam obstruídas (com aderência) foram desobstruídas, agora vou tentar engravidar. Boa sorte a todas nós.