24 de abr de 2011

Frigidez


Porque aparece
As causas de disfunções sexuais podem ser divididas em orgânicas (endometriose, cistite ou vaginite, por exemplo) e psicológicas. No entanto, em algumas causas ditas orgânicas, como dor nas relações sexuais, há um componente psicológico importante que precisa ser considerado. Uso de alguns tipos de medicamentos por longo tempo, estresse, má alimentação e condições de saúde são fatores que afetam a sexualidade, direta ou indiretamente. Doenças vasculares associadas com diabetes podem influenciar na excitação, enquanto doenças cardiovasculares podem inibir a relação devido à falta de fôlego, por exemplo. Excesso de bebidas alcoólicas e drogas também contribuem para o aparecimento de disfunções sexuais. O cigarro, conhecido por causar problemas de ereção nos homens, também tem efeito negativo na excitação em mulheres. Gravidez e o período pós-parto são obstáculos em potencial para a sexualidade, pois são freqüentemente associados com a queda na atividade sexual do casal.

Diagnóstico
As disfunções sexuais podem ser subdivididas em problemas de desejo, de excitação, falta de orgasmo, e problemas como dispareunia (dor durante a relação sexual) e vaginismo. Os sintomas variam. A mulher pode não ter desejo por sexo, não ser capaz de manter o desejo ou mesmo não chegar ao orgasmo. Ela também pode sentir dor, o que certamente interfere no desejo. O ideal é ter uma conversa franca com o ginecologista, sem medos e inibições, para que ele possa obter um histórico completo e fazer o diagnóstico correto. Cada disfunção sexual deve ser avaliada individualmente, considerando duração e situação, pois pode acontecer apenas com um parceiro ou situação específica. Dependendo do caso, um exame físico será necessário, com o objetivo de detectar doenças. O exame físico pode ser encarado, também, como uma oportunidade de aprender com o médico sobre a anatomia e as funções sexuais, além de identificar a origem de eventuais dores durante a relação.

Riscos
Deixar de procurar ajuda pode, aos poucos, comprometer o relacionamento e a qualidade de vida.

Tratamento
O tratamento depende das causas da disfunção sexual. O ginecologista, inicialmente, irá oferecer orientação sobre o problema e poderá indicar algumas estratégias que não envolvam medicamentos, entre elas: massagens sensuais entre os parceiros, novas posições para evitar dor, uso de lubrificantes e brinquedos eróticos, alguns exercícios para fortalecer a musculatura vaginal e terapia. Dependendo do caso, pode ser indicada a terapia hormonal, já que o estrogênio pode recuperar o desejo, melhorar a secura vaginal e aliviar a dor.

Quando procurar o médico
Quando perceber dificuldades relacionadas à sexualidade.

Prevenção
Manter um relacionamento aberto e próximo com o parceiro ajuda a evitar dificuldades emocionais e isolamento, o que pode levar a alguma disfunção sexual. Quando há algum problema psicológico sério, que interfere na sexualidade, buscar auxílio com terapia é fundamental Além disso, é importante esclarecer com o médico possíveis efeitos colaterais de cada novo medicamento que precise ser tomado. Evitar excesso de bebidas alcoólicas e fumo também ajuda.

0 Comentários: