20/05/2011

Para que serve o medicamento DUPHASTON?


Esse remédio serve para ajustar os ciclos menstruais que estão irregulares, e também para algumas mulheres, nem todas, ele também ajuda  na programação de quem quer engravidar.
Mas a função primordial dele é regular o ciclo menstrual. E como conseqüência, pode vir a engravidar, ele não é anti concepcional.

DUPHASTON está indicado em todos os casos de deficiência de progesterona endógena. DUPHASTON não tem atividade estrogênica, androgênica, termogênica, anabólica ou corticóide.
Propriedades farmacocinéticas
Após administração oral, cerca de 63% da dose de didrogesterona é excretada na urina. Dentro de 72 horas a excreção é completa.
A didrogesterona é completamente metabolizada. O principal metabólito da didrogesterona é a 20- alfa-diidrodidrogesterona (DHD) e se apresenta na urina predominantemente como ácido glicurônico conjugado.
Uma característica comum dentre todos os metabólitos isolados é a presença da configuração 4,6- dieno-3-ona do composto de origem e a ausência de 17 alfa-hidroxilação. Isto explica a ausência de efeitos estrogênicos e androgênicos da didrogesterona.
Após a administração oral de didrogesterona, as concentrações plasmáticas de DHD são substancialmente mais altas do que a droga de origem. As razões de AUC e Cmax da DHD em relação à didrogesterona são da ordem de 40 e 25, respectivamente.
A didrogesterona é rapidamente absorvida. Os valores de Tmax
de didrogesterona e DHD variam entre 0,5 e 2,5 horas.
As meias- vidas terminais de didrogesterona e da DHD variam entre 5 a 7 horas e 14 a 17 horas, respectivamente.
A didrogesterona não é excretada na urina sob a forma de pregnanediol, como a progesterona. Portanto, a análise da produção de progesterona endógena baseada na excreção de pregnanediol permanece possível.

RESULTADOS DE EFICÁCIA - DUPHASTON

Terapia Hormonal
Os estudos avaliando a eficácia de didrogesterona para a proteção endometrial na terapia hormonal, mostraram eficácia que variou de 90 a 99,7 % Ref Ref.
Tratamento da Dismenorréia
Usando- se o esquema posológico recomendado, conseguiu-se de 72 a 92 % de eficácia com o uso deDUPHASTON em mulheres com dismenorréia moderada e severa após 3º ciclo de usoRef Ref.
Tratamento da Endometriose
Mulheres com diagnóstico de endometriose (leve a severa) que usaram DUPHASTON com a posologia recomendada apresentaram melhora dos sintomas e das lesões, em 75 % a 90 % dos casos Ref Ref.
Tratamento da Amenorréia Secundária
O índice global de sucesso com o uso de DUPHASTON para o tratamento da amenorréia secundária em estudos controlados variaram entre 73 e 93 % Ref Ref Ref.
Tratamento de Ciclos Irregulares
Cerca de 92 % das mulheres que apresentavam ciclos menstruais irregulares e que fizeram uso da didrogesterona com o intuito de regularizar os ciclos, obtiveram sucesso Ref.
Tratamento da Síndrome Pré- menstrual
Resultados de estudos controlados por placebo mostraram que 51 a 72 % das mulheres que apresentavamsintomas de síndrome pré- menstrual e que usaram DUPHASTON, apresentaram melhora importante nossintomas Ref Ref.
Tratamento do aborto habitual e ameaça de aborto na deficiência de progesterona.
O uso de DUPHASTON para os casos de aborto habitual e ameaça de aborto mostra uma redução significativa de 27 e 30 %, respectivamente, na taxa de aborto Ref.
Tratamento da Infertilidade devido a Insuficiência Luteínica
Mulheres com diagnóstico comprovado de deficiência luteínica que usaram DUPHASTON apresentaram sucesso no tratamento em 68,7 % dos casos. As taxas de gravidez em mulheres com este diagnósticovariaram entre 29,6 %, 31,0 % e 50,0 % Ref Ref Ref Ref.
Em caso de esquecimento a paciente deve ser orientada a esperar até o horário de tomada da próxima dose. A paciente deve ser orientada a não tomar mais do que a dose normal prescrita.

INDICAÇÕES - DUPHASTON

Terapia Hormonal
Para contrabalançar os efeitos do estrógeno sobre o endométrio durante a terapia hormonal em mulheres com menopausa natural ou cirurgicamente induzida com útero intacto.
Deficiência de Progesterona
Tratamento de deficiências de progesterona, tais como: tratamento da dismenorréia; tratamento daendometriose; tratamento da amenorréia secundária; tratamento de ciclos irregulares; tratamento dasíndrome pré- menstrual; tratamento de aborto habitual ou ameaça de aborto, associados com deficiência de progesterona comprovada; tratamento de infertilidade devido a insuficiência lútea.

CONTRA-INDICAÇÕES - DUPHASTON

DUPHASTON é contra- indicado nos casos de hipersensibilidade conhecida a qualquer um dos componentes da formulação.

MODO DE USAR E CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO DEPOIS DE ABERTO - DUPHASTON

DUPHASTON deve ser administrado por via oral.

POSOLOGIA - DUPHASTON

Terapia Hormonal
Em combinação com terapia estrogênica contínua, um comprimido de 10 mg de DUPHASTON diariamente durante 14 dias consecutivos por ciclo de28 dias;
Em combinação com terapia estrogênica cíclica, um comprimido de 10 mg de DUPHASTON diariamente durante os últimos 12 - 14 dias da terapia estrogênica.
Se as biópsias endometriais ou ultra- som revelarem resposta inadequada à progesterona, deverão ser prescritos 20 mg de DUPHASTON.
Dismenorréia
10 mg duas vezes ao dia, do 5º ao 25º dia do ciclo.
Endometriose
10 mg duas a três vezes ao dia, do 5º ao 25º dia do ciclo ou continuamente.
Sangramento disfuncional (para deter o sangramento)
10 mg duas vezes ao dia por 5 a 7 dias.
Sangramento disfuncional (para prevenir o sangramento)
10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.
Amenorréia
Um estrógeno uma vez ao dia, do 1º ao 25º dia do ciclo, junto com 10 mg de DUPHASTON  duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.
Síndrome pré- menstrual
10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.
Ciclos irregulares
10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.
Ameaça de aborto
40 mg de uma só vez, e então 10 mg a cada 8 horas até que os sintomas regridam.
Aborto habitual
10 mg duas vezes ao dia até a 20ª. semana de gravidez.
Infertilidade por deficiência luteínica
10 mg ao dia, do 14º ao 25º dia do ciclo. O tratamento deverá ser mantido por pelo menos 6 ciclos consecutivos. É recomendável continuar esse tratamento durante os primeiros meses de qualquer gravidezusando as doses indicadas para o aborto habitual.

ADVERTÊNCIAS - DUPHASTON

Sangramentos de escape podem ocorrer num reduzido número de pacientes, podendo ser evitados com o aumento da dose de DUPHASTON.
Se DUPHASTON for administrado em combinação com estrógeno (terapia hormonal) as contra- indicações e precauções relacionadas ao tratamento estrogênico deverão ser cuidadosamente observadas.
Antes de iniciar ou reinstituir a combinação didrogestrona- estrógeno para terapia hormonal, deve ser realizada uma completa verificação do histórico pessoal e familiar da paciente. Exame físico (incluindo pélvico e de mamas) deve ser baseado nas contra-indicações e precauções de uso.
Durante o tratamento, são recomendadas avaliações periódicas em intervalos adaptados de acordo com a necessidade da paciente.
A paciente deve ser aconselhada a comunicar seu médico caso perceba alterações nas mamas.
Investigações, incluindo mamografia, devem ser realizadas de acordo com as práticas de avaliação atualmente aceitas, adaptadas de acordo com as necessidades clínicas da paciente.
A paciente deve ser aconselhada a comunicar seu médico caso perceba alterações nas mamas.
Avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios deve ser estabelecida pelo tempo em que a paciente estiver em terapia hormonal. Sangramentos de escape podem ocasionalmente ocorrer durante os primeiros meses de tratamento. Se este sintoma aparecer após algum tempo de terapia, ou continuar após o término do tratamento, as razões devem ser investigadas, podendo incluir biópsia endometrial a fim de excluir- se malignidade endometrial.
Gravidez categoria B e lactação
Até o momento não há evidências de que a didrogesterona não possa ser usada durante a gravidez. A didrogesterona é excretada no leite materno.
Os estudos realizados com a didrogesterona em animais, para avaliar seus efeitos teratogênicos não demonstraram riscos para o desenvolvimento fetal. Entretanto, não há estudos controlados em mulheres grávidas Ref Ref Ref Ref Ref.

USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO - DUPHASTON

ESTE MEDICAMENTO NÃO DEVE SER UTILIZADO POR MULHERES GRÁVIDAS SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS - DUPHASTON

Não são conhecidas interações medicamentosas entre a didrogesterona e outras substâncias.

REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS - DUPHASTON

Sistema circulatório - casos raros de anemia hemolítica;
Distúrbios gerais - muito raramente observou-se casos de edema;
Distúrbios hepatobiliares - infreqüentemente, pode ocorrer alteração das funções hepáticas, acompanhadas, por vezes, de astenia, mal-estar, icterícia e dor abdominal;
Sistema reprodutor e mamas - podem ocorrer sangramentos de escape (vide seção "Advertências");
Pele e tecido subcutâneo - rash alérgico cutâneo, prurido e urticária foram relatados infreqüentemente.
Angioedema foi relatado com uma freqüência muito rara.

SUPERDOSE - DUPHASTON

Não há relatos registrados de efeitos colaterais decorrentes de superdosagem. Se uma superdosagem é descoberta nas primeiras 2 a 3 horas e o tratamento parecer desejável, a lavagem gástrica é recomendável.
Não existem antídotos específicos e o tratamento deverá ser sintomático.

ARMAZENAGEM - DUPHASTON

DUPHASTON deve ser mantido em sua embalagem original, em temperatura entre 0ºC e 30ºC e protegido da luz e umidade.

1 Comentários:

Aline disse...

Iniciei a tomar esta medicação pela primeira vez e até então minha menstruação era regulada , mas como quero engravidar a médica me aconselhou.....dentro dos 14 dias que tomei o medicamento já sangrei por 2 vezes..achei estranho....