12 de jul de 2011

Hirsutismo



O hirsutismo é definido como o crescimento excessivo de pêlos terminais na mulher, em áreas anatômicas características de distribuição masculina. Pode manifestar-se como queixa isolada, ou como parte de um quadro clínico mais florido, acompanhado de outros sinais de hiperandrogenismo, distúrbios menstruais e/ou infertilidade ou ainda alterações metabólicas relacionadas com hiperinsulinemia/resistência insulínica. O hirsutismo decorre da ação dos androgênios sobre a pele e depende de vários fatores correlacionados: níveis de androgênios e da SHBG e conseqüente relação hormônio livre/hormônio ligado, grau de sensibilidade cutânea aos androgênios, capacidade de conversão de androgênios em estrogênios e outras interconversões entre esteróides. Pode ser classificado em duas categorias: a) associado a uma hiperprodução glandular de androgênios pelos ovários e/ou suprarrenais ou b) decorrente de uma hiperutilização isolada dos androgênios circulantes pelo folículo pilo-sebáceo, correspondendo ao hirsutismo dito "idiopático". A causa mais freqüente do hirsutismo de origem glandular é a síndrome dos ovários policísticos. A hiperplasia adrenal congênita forma não clássica (HAC-NC) por deficiência da 21-hidroxilase é a causa mais freqüente de hirsutismo de origem adrenal, embora sua prevalência, entre mulheres hirsutas como um todo, seja relativamente baixa. Outras causas menos freqüentes são a síndrome de Cushing e os tumores virilizantes, ovarianos ou adrenais. Neste artigo são enfocados criticamente aspectos da avaliação diagnóstica do hirsutismo e os principios do tratamento com base em sua etiologia. São abordadas as indicações e limitações do uso de diferentes antiandrogênios e outros fármacos relacionados.


TRATAMENTO

Tem como objetivo principal a correção do fator etiológico e o tratamento do hirsutismo e dos outros sinais de virilizarão.

Específico

Tumores: ressecção cirúrgica.
Prolactinoma: bromoergocriptina, lisurida.
Hipo ou hipertireoidismo: tratamento específico.
Hiperandrogenismo de Origem Adrenal
Prednisona: iniciar com 5mg/dia VO.
Reavaliação pelo quadro clínico e dosagem de S-DHEA e 17-OHP.
Hiperandrogenismo de Origem Ovariana

Tratamento específico do hirsutismo:

Acetato de ciproterona (CPA) (2mg) + etinilestradiol (0,035mg) - um comprimido ao dia por 21 dias, iniciando no 5o dia do ciclo. Pode ser usado isoladamente ou associado à dose maior de CPA (12,5 a 50mg/dia) ou espironolactona.

Acetato de ciproterona - iniciar com 12,5mg/dia, podendo aumentar gradativamente a dose até 100 mg/dia, do 5o ao 14o dia do ciclo. Como tem componente progestogênico potente, pode causar atrofia endometrial, devendo ser usado concomitantemente com um anticoncepcional oral combinado com estrogênios do 5o ao 24o dia do ciclo (0,625 mg/dia de estrogênios conjugados ou 2mg/dia de valerato de estradiol) ou com acetato de ciproterona + etinilestradiol.

Espironolactona - iniciar com 25mg/dia, podendo aumentar a dose gradativamente até 200mg/dia. Uso contínuo. Na ocorrência de irregularidades menstruais deve ser utilizado associado com anticoncepcional oral ou acetato de ciproterona + etinilestradiol.

Se deseja gravidez:
Tratar inicialmente o hiperandrogenismo e, após, induzir ovulação com citrato de clomifeno, iniciando com 50mg/dia do quinto ao nono dia do ciclo (ver capítulo Indução da Ovulação).


Hiperandrogenismo Misto
Associação das drogas anteriormente citadas.
Medidas Complementares

No tratamento sintomático deve-se corrigir ou pelo menos atenuar os sinais decorrentes do hiperandrogenismo. No hirsutismo faz-se a depilação com eletrocoagulação ou ceras depilatórias (preferencialmente dois meses após o início do tratamento medicamentoso).


Os pêlos devem ser constantemente descoloridos e enfraquecidos com solução de óleo Bleaching e água oxigenada 20 volumes em partes iguais.
Correção das alterações da genitália quando necessário.
Nas pacientes obesas orientar a perda de peso.


O tratamento deve ser prolongado (no mínimo nove meses), devendo-se reavaliar periodicamente o hirsutismo através do índice de Gallwey e Ferriman modificado. 

2 Comentários:

Claudineide Maria da Silva disse...

Meu amigo esses remédios passados via net é 1 perigo o correto e ir a um especialista e tirar essas desgraças a raio laser! Remédios tem que ser com visitas a um médico especialista no assunto. Eu já tomei remédio para emagrecer através de propagandas enganosa e fiquei magra e normal porque louca eu sou a muito tempo. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Carla disse...

Muito legal e bem explicativa,depois de ter lido vou procurar um especialista o mais rápido possível.obrigada por tirar minhas dúvidas.Valeuuuuuuuu.........