31 de mai de 2012

Estenose Cervical Uterina (Estreitamento do Cólo do Útero)


A estenose cervical uterina é o estreitamento do cólo do útero, podendo causar a obstrução parcial ou total do canal cervical. Ainda há poucos estudos sobre o tema e não é um problema comum, mas sabe-se que isso pode causar problemas de fertilidade na mulher, dificultando a passagem de espermatozóides ao útero. E também, para mulheres que conseguem engravidar, pode trazer dificuldades ao parto, levando a indicação de cesárea.
Algumas mulheres nascem com estenose cervical, outras desenvolvem o problema por algum procedimento ou condição como cirurgia no útero, menopausa, câncer de endométrio, conização, ablação endometrial.

Os principais sintomas da estenose são: cólicas, menstruação dolorosa, sangramentos anormais, falta de menstruação (amenorréia), espessamento anormal do endométrio, inchaço abdominal e infertilidade. Uma mulher com estenose cervical também pode sentir nódulos na região pélvica.

A estenose cervical pode causar endometriose, por dificultar ou impedir a saída da menstruação pelo canal do cólo.

O diagnóstico da estenose é feito com pelo médico com exame de Papanicolau, citologia cervical, e biópsia endometrial. Outra forma de confirmar o diagnóstico é a obtenção de imagens do colo do útero ou retirar amostras de tecido e analisá-las sob um microscópio.

Nem sempre é preciso tratar a estenose, depende da severidade e dos sintomas. O tratamento é feito através da inserção de um instrumento, chamados dilatadores, para alargar o cólo, podendo ser colocado um stent (alargador) cervical ou tubos por um período até que a dilatação do canal se mantenha por si só.


Fontes de pesquisa: 
http://mintarticles.com/read/womens-health-articles/cervical-stenosis,12040/Portuguese/ 

0 Comentários: