14/05/2012

TROMPAS OBSTRUÍDAS


A obstrução das trompas é considerada uma causa mecânica da infertilidade feminina. Estando obstruída, a trompa não conseguirá conduzir o óvulo do ovário até o útero, impedindo a fecundação e a gravidez.
Os fatores mais comuns que podem causar obstrução nas trompas são a endometriose, infecção pélvica e gravidez tubária. Mulheres que tenham feito laqueadura tiveram suas trompas obstruídas propositalmente.
A obstrução das trompas pode ser comprovada por um exame denominado Histero-salpingografia.



Muitas mulheres tem as trompas (ou tubas) uterinas obstruídas e isto impossibilita a gravidez espontânea. Na verdade, para maioria delas, esta lesão ocorreu de forma opcional, principalmente associado ao parto. Também é verdade que a maior parte destas mulheres está satisfeita com sua opção pela ligadura de trompas, mesmo quando passam por alguns incômodos, como sangramentos irregulatres e aumentados que podem até ser considerados efeitos colaterais associados ao tipo de técnica utilizada no procedimento.
No entanto, chega a 30% o número de mulhers arrependidas, especialmente entre aquelas que o fizeram antes dos trinta anos. Para estas descontentes, é importante saber que este processo pode ser revertido através da microcirurgia das trompas.


Basicamente, há dois tipos de abordagem cirurgica: a feita com a barriga aberta através de uma incisão semelhante a cesariana e aquela através da videolaparoscopia. Muitos trabalhos atualmente tem valorizado a opção pela video como um procedimento que pode trazer maior beneficio paras as pacientes com vantagens como: Cirurgia minimamente invasiva com incisões que variam de 0,5 a 1 cm; menor tempo de internação hospitalar com menos dor pós operatória  e menor tempo para rescuperação. Também são relevantes os detalhes técnico permitidos pela videolaparoscopia que são a visão em detalhes de maior aumento e proximidade sem a necessidade de se utlizar um microscopio cirurgico. O custo operacional da videolaparoscopia é maior do que a cirurgia aberta. Porém o custo efetivo de uma cirugia minimamente invasiva pode ser muito vantajoso.



Problemas nas trompas, quais os tratamentos?
Há vários tipos de cirurgia para corrigir bloqueios nas tubas de Falópio. O tipo específico de cirurgia que o seu médico fará dependerá da localização e extensão do bloqueio da tuba de Falópio.
Alguns procedimentos tubários podem ser realizados usando técnicas micro cirúrgicas, durante cirurgia   abdominal aberta ou usando laparoscopia através de uma pequena incisão. O cirurgião deve ter treino especial e perícia em técnicas de micro cirurgia e/ou laparoscopia.
Abaixo, há uma breve descrição dos procedimentos mais comuns:

Re-anastomose tubária caracteristicamente é usada para reverter uma obstrução tubária ou para   reparar uma porção da tuba de Falópio danificada pela doença. Esse procedimento geralmente é realizado durante laparotomia.
Salpingectomia, ou remoção de parte da tuba de Falópio, é feita para melhorar o índice de sucesso da fertilização in vitro (FIV), quando a tuba desenvolveu uma acumulação de fluido (hidro-salpinge).
Fimbrioplastia pode ser realizada quando a parte da tuba mais próxima do ovário é parcialmente ou totalmente bloqueada. Esse procedimento permite reconstruir as extremidades com franjas das tubas de Falópio.
Para um bloqueio tubário próximo do útero (oclusão proximal), um procedimento não-cirúrgico chamado de cateterização   tubária selectiva é o tratamento de primeira escolha. Usando-se fluoroscopia ou histeroscopia para guiar os instrumentos, o médico insere um cateter através do colo e do útero até ao interior da tuba de Falópio.

1 Comentários:

TRATAMENTO PARA INFERTILIDADE DE CAUSA TUBARIA - DR ANDRE VAZ disse...

TRATAMENTO PARA TROMPAS OBSTRUIDAS

Se a HIDROTUBAÇÅO funciona para tratamento das Trompas Obstruidas, não se questiona mais. Por 28 anos praticando o método, a casuística é grande, e são muitas as pacientes que conseguiram realizar o seu sonho de conceber o seu bebê. Observo dois terços das pacientes que se submetem ao método, desobstruindo pelo menos uma de suas trompas (em torno de 65% de chance). O número de pacientes que conseguiam engravidar depois do tratamento variava muito, e aqui concentro a mensagem do texto.
Durante anos vim observando algumas pacientes que conseguiram desobstruir as suas trompas, retornando ao consultório, por não conseguirem engravidar depois do tratamento. Em vários casos, pacientes que não conseguiam ovular. Em algumas, observava as trompas novamente obstruídas. O que aconteceu? “Será que os remédios não foram suficientes para solucionar o caso?” A PERGUNTA, NA VERDADE, SE TRANSFORMA EM OUTRA: as trompas desobstruíram, mas o que causou a obstrução foi também tratado, ou não?
Desta observação, nasceu uma nova conduta. TODOS os parceiros de pacientes com trompas obstruídas, atualmente, estão sendo investigados com exames sofisticados. Para minha surpresa, ALTO INDICE DE INFECÇÅO! E o que é pior, infecção por germes que “não morrem mais” com os antibióticos costumeiramente usados na atualidade, á saber: DOXACICLINA E AZITROMICINA. E se vocês acham que a PFIZER ou a NOVARTIS vão patrocinar material para divulgar esse dado para a classe médica, estão muito enganados, pois laboratórios aferem lucros, antes da preocupação com a ineficiência de seus produtos, pois não querem perder as vendas. Os doutores que se cuidem, e de seus pacientes!
Deste quebra-cabeças conseguimos retirar o seguinte: casal infectado, tem que ser tratado junto com as aplicações da HIDROTUBAÇÅO, OU, as relações sexuais são mantidas através do uso da “camisinha”, até a investigação do marido. A investigação da infecção se dá pelo método moderno de PCR, realizado no esperma do marido.
Por que investigar o marido? Não dá pra pesquisar “tudo” na mulher?
A resposta é: queremos o que há de melhor na investigação da infecção, e convenhamos, investigar míseros 4 mililitros de sêmen é muito mais fácil do que 4 litros de sangue de uma mulher!
Por tudo isso, tenho insistido na INVESTIGAÇÅO DO CASAL. Machistas do nosso Brasil, se querem um filho de sua amada, têm que participar! Saiam da toca!
Os maridos das minhas pacientes recentes, que estão á ler este artigo, sabem do que estou falando. TODOS ficaram surpresos com o diagnóstico da infecção, pois NÅO SENTIAM NADA! Agradeço a todos pela confiança depositada, e a participação ativa no processo.
E para finalizar, você, paciente ainda descrente no possível tratamento de suas Trompas Obstruídas, faço dois alertas:
- se for realizar a FERTILIZAÇÅO IN VITRO (FIV), exija que o seu marido, antes de tudo, seja investigado através de PCR do esperma, com vistas para clamídias, ureaplasmas, mycoplasmas, e neisserias. Tenho recebido casais em meu consultório, que tentaram a FIV sem sucesso, não realizaram essa investigação, e quando submetidos á estes exames, se descobriu a falha que causou o aborto dos embriões depois.

- Na medicina, sempre do mais simples, ao mais complexo; do mais natural, para depois o artificial. Ao tratar as suas trompas, você deixa em aberto uma chance, enquanto pode ir se preparando para uma futura FIV. Tenho pacientes que ao chegarem para a FIV, já se encontravam grávidas.
DUVIDAS PELO E MAIL: drandrevaz@hotmail.com