31 de jan de 2013

Ovulação - Sintomas, indução e supressão


Ovulação é o processo no ciclo menstrual no qual o folículo ovariano maduro rompe e libera o ovo (oócito ou gameta feminino) que participa na reprodução. O processo de ovulação é controlado pelo hipotálamo do cérebro e através da liberação de hormônios (hormônio luteinizante e hormônio estimulador do folículo) secretados no lóbulo anterior da glândula pituitária.

Na fase pré-ovulação (folicular) do ciclo menstrual, o folículo ovário passa por uma série de transformações. Depois que isso acontece, forma-se um buraco pelo qual sai o ovo. A ovulação é desencadeada pelo pico na quantidade de hormônio luteinizante e hormônio estimulador do folículo liberados pela glândula pituitária. Após a ovulação, o ovo viaja através dos tubos de Falópio até o útero. Caso o ovo seja fertilizado pelo esperma, pode ser implantado no útero 6 a 12 dias depois. Caso não seja fertilizado, o ovo se degradará nos tubos de Falópio dentro de 24 horas.

Os poucos dias próximos à ovulação constituem o período fértil. O tempo médio para a ovulação é de 14 dias no ciclo menstrual médio de 28 dias. É normal que o dia da ovulação varie da média, sendo comum estar entre o décimo e décimo-nono dia do ciclo menstrual. A duração do ciclo menstrual por si só não é um indicador confiável do dia da ovulação. Ainda que em geral ovulação mais cedo resulte em ciclo menstrual menor (e vice-versa), a fase pós-ovulação do ciclo pode variar em até uma semana de mulher para mulher.



Sintomas da ovulação

O começo da ovulação pode ser detectado por vários sinais e sintomas. As mulheres perto da ovulação experimentam mudanças no cérvix, no muco produzido pelo cérvix, e na temperatura basal. Além disso, várias mulheres experimentam sintomas secundário de fertilidade como mittelschmerz (dor associada à ovulação, do alemão "dor no meio") e sensibilidade mais forte aos odores. Muitas mulheres sentem elevação no desejo sexual nos dias antes da ovulação.

Indução da ovulação

Em termos gerais, a administração de hormônio luteinizante ou hormônio estimulador do folículo pode induzir a ovulação e permitir a concepção. A indução da ovulação é um auxílio promissor para a concepção em mulheres com síndrome do ovário policístico e oligomenorreia.
Riscos da indução da ovulação

Todo medicamento para induzir a ovulação carrega o risco de efeitos colaterais. Um estudo recente levantou a possibilidade de relação entre os agentes que induzem a ovulação e elevação do risco de câncer no ovário.

Supressão da ovulação

A maioria dos anticoncepcionais hormonais visa a supressão da fase da ovulação do ciclo menstrual. Estradiol e progesterona, tomados em variadas formas de anticoncepcionais -- como pílula anticoncepcional, adesivos e injeção -- reproduzem os níveis hormonais do ciclo menstrual para inibir a ovulação.

Anovulação - Causas, sintomas e tratamento



O que é anovulação

Um ciclo anovulatório é aquele no qual os ovários falham em liberar um oócito. Desta forma, a ovulação não acontece. Porém, uma mulher que não ovula a cada ciclo menstrual (anovulação crônica) não necessariamente está passando pela menopausa. Anovulação crônica é uma causa comum de infertilidade. Adicionalmente à alteração dos períodos menstruais e infertilidade, anovulação crônica pode causar ou exacerbar outros problemas de longo prazo, como hiperandrogenismo e osteopenia. Anovulação crônica desempenha um papel central em desequilíbrios múltiplos e disfunções da síndrome do ovário policístico.

Causas da anovulação

As causas da anovulação podem ser divididas em problemas funcionais e desequilíbrios hormonais ou químicos.

Anovulação decorrente de desequilíbrio hormonal ou químico
O desequilíbrio químico ou hormonal é a causa mais comum de anovulação, responsável por em torno de 70% dos casos.
1. Em torno de metade das mulheres com desequilíbrio hormonal não produzem folículos suficientes para assegurar o desenvolvimento de um óvulo. Isso pode ser causado por pouca secreção hormonal da glândula pituitária ou do hipotálamo.
2. A glândula pituitária controla a maioria das outras glândulas hormonais no corpo humano. Desta forma, qualquer mal funcionamento da glândula pituitária afeta outras glândulas sob a sua influência, das quais os ovários. Isso ocorre em torno de 10% dos casos. Glândulas mamárias também são controladas pela glândula pituitária, o que pode então afetar também a lactação.
3. O hipotálamo controla a glândula pituitária. Em 10% dos casos, alterações nos sinais químicos do hipotálamo podem facilmente afetar os ovários e provocar anovulação.
4. Existem outras anormalidades hormonais sem ligação direta às mencionadas acima que também podem afetar a ovulação. Mulheres com hipotiroidismo ou hipertiroidismo algumas vezes têm problemas de ovulação. Disfunções da tireóide podem provocar anovulação ao perturbar o equilíbrio dos hormônios naturais da reprodução. Síndrome do ovário policístico e hiperprolactinemia também podem causar anovulação através de desequilíbrios hormonais.

Anovulação decorrente de problemas funcionais
1. Os ovários podem parar de funcionar em torno de 5% dos casos. Isso pode ser devido aos ovários não conterem ovos. Porém, um bloqueio completo dos ovários raramente é causa de infertilidade. Ovários bloqueados podem começar a funcionar novamente sem explicação médica clara.
2. Um choque emocional significativo pode temporariamente afetar o funcionamento do cérebro e ocasionar disfunções do hipotálamo. Porém, isso não é muito comum.
3. Em alguns casos, o ovo pode amadurecer apropriadamente, porém o folículo pode não romper. Isso é chamado de síndrome de folículo luteinizado não roto.
4. Danos físicos aos ovários, ou ovários com múltiplos cistos, podem afetar a sua capacidade de funcionar. Isso é chamado distrofia ovariana. Mulheres com síndrome do ovários policístico também pode causar anovulação.
5. Perda de peso ou anorexia também podem causar desequilíbrio hormonal, ocasionando ovulação irregular. Por outro lado, excesso de peso também pode ocasionar disfunções ovarianas.

Sinais e sintomas da anovulação

A anovulação é geralmente associada a sintomas específicos. Porém, é importante notar que eles não necessariamente são mostrados simultaneamente.
1. Amenorreia (falta de menstruação) ocorre em torno de 20% das mulheres com disfunção ovulatória.
2. Menstruação não freqüente e leve ocorre em torno de 40% das mulheres com disfunção ovulatória.
3. Menstruação irregular, quando 5 ou mais ciclos menstruais no ano são 5 ou mais dias menores ou maiores que a média.
4. Falta de mastalgia (dor ou sensibilidade nos seios) ocorre em torno de 20% das mulheres com disfunção ovulatória.
5. Aumento de pelos no corpo de face.

Tratamento da anovulação
É possível restaurar a ovulação usando medicação apropriada. A anovulação é tratada com sucesso em aproximadamente 90% dos casos. O primeiro passo é diagnosticar anovulação. A identificação da anovulação, ao contrário do que comumente acredita-se, não é fácil. Mulheres com anovulação ainda assim podem ter ciclos menstruais regulares. Em geral, as pacientes somente notam que há problema quando resolvem engravidar. O acompanhamento da temperatura é uma forma útil de dar pistas precoces sobre anovulação e ajudar o diagnóstico.
Os tratamentos disponíveis para anovulação são geralmente bem eficientes. Ovários são relativamente fáceis de estimular e em 90% dos casos a ovulação pode ser induzida com medicação apropriada. Porém, o tratamento da anovulação deve buscar a mono-ovulação e não super-estimular os ovários. Os riscos associados à gravidez múltipla (gêmeos, trigêmeos, etc.) são bem maiores do que a gravidez de um único filho. Desta forma, é importante adaptar o tratamento a cada paciente individualmente.





Ciclo Completo - ciclo do útero desde a menstruação.


A postagem de hoje traz uma informação valiosa para as tentantes que querem saber e aprender mais sobre o colo do útero e suas mudanças durante o ciclo.
Esse ciclo foi fotografado por uma mulher de 25 anos que nunca deu à luz,  ela tem o útero retrovertido então você pode perceber que o colo do útero está apontando para cima em algumas fotos.  Esta é uma variação anatômica que está presente em cerca de 20-30% da população, e é mais freqüentemente um traço genético.



1 Dia – Menstruação
Vermelho – sangue vivo e intenso
Seios – de aumento de volume
Sentindo –  muito sexual

**********************************************************************
2 Dia
Vermelho escuro, o fluxo médio
Seios  – normal
Temperatura corporal basal – 97,2 F (e continua a ser entre 97 e 97,4 F F até o dia 20)


********************************************************************
3 Dia -
Sangue – marrom e vermelho escuros lacrimejantes, de baixo fluxo
***********************************************************
4 dia – 

Mancha marrom com algumas manchas vermelho escuro (sangue fresco na nota OS)

***********************************************************
5 Dia:

Fluxo muito baixo
***********************************************************
6 Dia:

Muito alta castanho claro
Líquido cervical quando tocado entre os dedos



***********************************************************
Dia Sete
Colo na posição fechada baixo
Cervical líquido pegajoso
***********************************************************
Dia 08
Colo uterino, baixo e fechado
Cervical líquido branco e viscoso
***********************************************************
Dia 09
Colo baixo e fechado
Sensação de secura
***********************************************************
10 Dia
Colo baixo e fechado
Aviso mancha de sangue perto do SO e coágulo marrom perto do colo uterino (direita). Possivelmente a partir de relações sexuais vigorosas mais cedo naquele dia (como eu não estou ovulando ainda) ** A partir de postar esta última ideia de que o sangue pode ter sido a partir de relações sexuais, eu tenho desde que foi diagnosticado com um pólipo endometrial que, ocasionalmente, provoca sangramento no meio do ciclo, normalmente alheios à relação sexual. Estou tratando-o com medidas holísticas e espero que desaparece logo.
***********************************************************


Dia 11
fluido cervical é cremoso

*****************************************************************
Dia 12
Cervical líquido branco e molhado, leitoso
Sentindo-se particularmente sexual
*****************************************************************
Dia 13
líquido aquoso copiosas cervical
Colo amolecimento e se movendo para cima
***********************************************************
Dia 14
Branco / líquido aquoso claro cervical, gotejando
*****************************************************************
Dia 15
líquido cervical alterado para textura mais clara do ovo
Colo é macio, aberto e de alta
*****************************************************************
Dia 16
Cervical líquido alternadamente consistência úmida e clara de ovo
Colo macio e de alta
*****************************************************************
Dia 17
fluido cervical é muito gelatinoso (aqui visto que abrange os) e raiado de amarelo-esbranquiçado
Sensível, seios sensual
Fluido estica entre os dedos (acima)



*****************************************************************
Dia 18
fluido clara de ovo
*****************************************************************
Dia 19
Mais branco tingido de fluido de clara de ovo
Muito fluido elástico e forte (abaixo)
*****************************************************************

Dia 20

Leve dor nas costas e cãibras no lado esquerdo
Ovulação suspeita!
Sentindo-se muito sexual
Cervical fluido gelatinoso e clara de ovo (à direita)
*****************************************************************

Dia 21

Secador chunkier / (como a secagem do cimento de borracha) do líquido cervical
Seios – Bico muito macio e doloroso
*****************************************************************
Dia 22
Posição do colo do útero está a meio e aberto ligeiramente
Temperatura corporal basal começando a subir, hoje 97,6 F
*****************************************************************
Dia 23
Mamilos doloridos
Sensação de secura
A temperatura corporal basal 97,5 F
*****************************************************************
Dia 24
Mamilos doloridos
Sensação de secura
Colo está duro e alto novamente
*****************************************************************
Dia 25
Dor de cabeça e cansaço
Seco
*****************************************************************
Dia 26
Seios inchado
Líquido cervical
A temperatura corporal basal agora sensivelmente superior.


*****************************************************************


Dia 27

Seios inchados e mamilos doloridos
líquido cervical
*****************************************************************

Dia 28

sensação de secura
*****************************************************************

Dia 29

sensação de secura
*****************************************************************

Dia 30

sensação de secura
Seios pesado
*****************************************************************

Dia 31

Sensação de inchaço
Lavagem de fluidos (sangue fresco na nota os, sinal de menstruação iminente)
*****************************************************************

Dia 32

Muito leve mancha marrom
Colo baixo e aberto
Sentindo-se cansado
*****************************************************************
Dia 33
Nota-se um sangramento
Com dor nas costas (baixas)
A menstruação começa amanhã, ao acordar, 13 dias depois da ovulação (fase lútea)



*****************************************************************



Fonte:beautifulcervix.com