14 de fev de 2013

Injúria Endometrial. você sabe o que é?

O processo de Injuria Endometrial é habitualmente feito no ciclo anterior ao tratamento.Nesse procedimento utiliza-se um cateter de biópisia de silicone, fino (3 mm de espessura), macio e flexível (pipelle de Cornier) que é semelhante ao cateter de transferência embrionária ou inseminação intra-útero. É um processo rápido e indolor. Na maioria das vezes não ocorrem cólicas ou sangramentos, mas se houver serão de pequena intensidade e a realização do procedimento dura menos que um minuto.
Esse tipo de procedimento pode trazer melhores chances de sucesso em se obter uma gravidez. A realização de injúria endometrial já está disponível em várias clinicas  sendo programada a sua execução previamente ao início da indução da ovulação, ou seja, no final do ciclo anterior à estimulação ovariana com gonadotrofinas.
Pesquisas pioneiras de Barash em 2003 demonstrou que a injúria endometrial, usando um cateter de biópisia, resulta em um elevado índice de gestação. Esses pequenos traumas no endométrio aumentam os índices de gestação pois promovem liberação de diversos mediadores químicos como LIF, interleucinas, CSF, histamina, fatores de crescimento, citocinas e outros. Existem publicações recentes que demonstram que a IE duplica ou até mesmo triplica as chances de obter uma gestação.


Também pode-se recorrer à injeção intra-uterina do fator estimulante de colônias de granulócitos (G-CSF) durante o processo de estimulação ovariana, sendo que esse procedimento é indolor, simples e sem efeitos colaterais.
Tem sua indicação primordial em casos de falhas de implantação embrionária e em situações de mau desenvolvimento endometrial durante o processo da fertilização in vitro. A vantagem desse método é que a sua utilização pode ser feita durante o ciclo de tratamento sem interferência na resposta ovariana às medicações e sem necessidade de programação prévia. Porém pode se outra opção mesmo para casos rotineiros.



O fator estimulante de colônias de granulócitos identificado em 1983, é importante em todo processo reprodutivo, parecendo ser essencial para a implantação do embrião. Quando colocado diretamente dentro do útero estimula a produção de leucócitos o que promove uma melhor aderência do trofoblasto (células do embrião e futura placenta) na parede endometrial. Tem sido utilizado para mulheres com desenvolvimento endometrial pequeno ( endométrio fino) e mais recentes para casais com falhas repetidas de implantação em ciclos de fertilização in vitro.


Fonte:http://www.clinicamatrix.com.br/swf/injuria.swf

0 Comentários: