9 de jun de 2011

Perguntas Frequentes

O que é insuficiência renal?
A insuficiência renal acontece quando os rins param de funcionar normalmente. Ela pode ser leve (creatinina no sangue de 2 a 3 mg%), moderada (creatinina de 4 a 6mg%), ou avançada (creatinina maior do que 6 mg%). Quando a creatinina está acima de 10 mg%, chamamos de insuficiência renal terminal, poiso paciente já necessita de diálise.
E o que é creatinina?

Creatinina é um produto da degradação muscular. Sua importância na insuficiência renal é que ela é o principal marcador endógeno (interno) de função renal. Quando a creatinina se eleva no sangue, gradativamente, é sinal que a insuficiência renal crônica está piorando. Ela funciona como marcadora da perda da função excretora dos rins.
 O que é uremia?
Uremia é o outro nome que se dá à insuficiência renal. Significa elevação de uréia no sangue. A uréia sempre está elevada na insuficiência renal, mas não é um marcador confiável de função renal, pois sua elevação depende muito da alimentação e do estado de hidratação do paciente. Quando o paciente está em diálise a uréia é um importante indicador de se ele está bem dialisado ou não, além de um bom marcador do estado nutricional.
 
O que é diálise? hemodiálise?
Hemodiálise é uma forma de diálise, a diálise que se faz pelo sangue (hemo). Quando a diálise é feita pela barriga (através do peritônio) ela se chama diálise peritonial.A diálise peritonial
É feita com a colocação do líquido de diálise no interior da barriga (peritônio) do paciente (através deum cateter) e com repetidas infusões e drenagens desse líquido de diálise, que entra puro e sai saturado Pode ser feita manualmente ou por máquina, continua (DPAC) ou intermitentemente (DPI). É uma diálise lenta mas eficiente.
O paciente renal em diálise pode comer a mesma comida que as outras pessoas da casa comem?
Quase sempre pode. Deve-se ter precaução com o sal, o excesso de potássio em sucos e frutas,Fósforo em leites e derivados e grãos, e líquidos em excesso.
Doente renal pode beber bebidas alcoólicas?
?Moderadamente pode. Uma dose de uísque e um copo de cerveja não fazem mal a ninguém. Deve-se se evitar vinhos ou champanhes, pois eles têm muito potássio.
Insuficiência renal aguda deixa seqüelas?
Numa pequena minoria pode deixar seqüelas.
Insuficiência renal aguda tem cura?
Na maioria dos casos sim.
Um paciente pode começar a fazer diálise e conseguir sair da diálise?
Muito raramente, mas pode. Isso acontece quando o paciente tem uma doença crônica que foi "agudizada", como no lúpus e na hipertensão maligna.
Devo ouvir mais de um nefrologista sobre o meu caso?
Deve, quantos você achar necessário. Mas não se autoengane.
Tenho mais de 70 anos, estou com Uréia de 70 mg% no sangue e creatinina ”normal”, tenho insuficiência renal?
Provavelmente não, isso é muito comum no idoso, mas não custa fazer uma avaliação com um nefrologista.
O que é nefrologista? É a mesma coisa de urologista?
Não, nefrologista é o médico clínico dos rins. É o especialista em diálise, transplante, hipertensão e medicina intensiva. O urologista faz mais a parte de cirurgia dos rins, dos ureteres, da bexiga , da próstata , da uretra, além de ser o cirurgião do transplante renal. Os dois se completam.
Insuficiência renal pega?
Não, não pega, não é infectocontagiosa.
Como eu sei se estou com insuficiência renal?
A melhor maneira de saber é ir a um clínico e fazer os exames necessários. Normalmente uma pessoa que não tem hipertensão, tem sumário de urina sem alteração e creatinina normal no sangue, não tem insuficiência renal.Isso não significa que não possa vir a ter.A anemia, às vezes, pode ser o primeiro sinal.
Quanto tempo vive um paciente renal em diálise?
Pode viver o bastante, muito mais de trinta anos. Só depende dele não brigar com o tratamento e não ter outras doenças associadas. Quanto mais aderente ao tratamento mais vive.
Quanto de líquido o paciente renal pode beber por dia?
Normalmente ele pode beber 600 ml,mais a quantidade que ele urina. Se urinar 1000 ml por dia pode beber até 1600 ml. Caso ele sue bastante (dias quentes, febre),pode beber mais do que isso. A melhor regra é que o paciente não ganhe mais de dois quilos e meio de peso entre as diálises.
O paciente renal pode fazer filho?
O paciente renal homem tem muitos problemas de ereção e de falta de espermatozóide, mas ele pode perfeitamente engravidar uma mulher.
A paciente renal pode engravidar?
Pode, mas deve evitar pois costuma ser uma gestação muito tumultuada.
Pode se prevenir a insuficiência renal?
Em parte; um diagnóstico e tratamento precoces dessas patologias evitam ou retardam bastante o aparecimento da insuficiência renal. O tratamento da hipertensão, do diabetes, do lúpus, da glomerulonefrite, das infecções, é a melhor maneira de se prevenir.
Quais as doenças que causam insuficiência renal?
Glomerulonefrite crônica (inflamação do glomérulo ou filtro renal), Diabetes, Hipertensão, Arteriosclerose, Pielonefrite (infecção renal), Nefrites de origens diversas, Lúpus, Doenças Hereditárias (rins policísticos etc.) e outras causas não definidas.
O que é osmose reversa?
Osmose reversa é um tipo de tratamento de água que se faz sob altas pressões e com uma membrana superseletiva (de diferentes materiais), a fim de livrar a água da rede pública de: sais, metais pesados,microorganismos e outros contaminantes, todos prejudiciais à saúde do paciente. Chama-se reversa pois se dá em sentido contrário a osmose normal, ou seja: a água sai do ambiente mais concentrado em sais para o menos concentrado.
Qual a incidência de insuficiência renal terminal na população?
Está em torno de 60 a 120 pacientes por milhão de habitantes. Isso significa que num estado como a Bahia (12 milhões de habitantes), mais de 1000 pacientes renais precisando de diálise surgirão todos os anos.
E por que não se transplanta todo mundo?
Porque não existem nem disponibilidade de órgãos, nem recursos humanos para tal. Mesmo em países desenvolvidos a taxa de transplante raramente passa de 20% da população dialisada.
Todo paciente pode fazer transplante renal?
Teoricamente, sim. Depende da sua idade, de seu estado de saúde extrarenal (coração, vasos, etc.) e, principalmente, de encontrar um doador compatível, vivo ou "cadáver".
E o transplante renal, cura?
Cura sim. Enquanto o rim estiver funcionando o paciente está curado, apesar de ter que tomar medicações para evitar as rejeições. Contudo, o transplante tem também suas complicações, que não são poucas.
A diálise cura o paciente?
Não, a diálise é um tratamento paliativo, substitutivo, que devolve muitas das funções que o paciente perdeu com a insuficiência renal, mas não todas.O paciente que faz diálise ainda é considerado um paciente renal crônico e depende de medicações (vitaminas, eritropoetina, calcitriol, cálcio) para complementar o tratamento.
Pode-se viver sem urinar ou sem os dois rins?
Pode-se, desde que se faça diálise regularmente.
O paciente renal urina?
No início da insuficiência renal, urina. Uns urinam mais, outros menos, depende da doença básica que eles têm. Com o passar do tempo na diálise, a maioria vai deixar de urinar.
O paciente renal pode fazer sexo?
Pode, mas deve evitar as 6 horas após o término da sessão de diálise, devido a problemas de sangramentos. Posições muito esdrúxulas e excesso de esforço também não são aconselháveis.
Carambola pode matar?
A carambola é rica em vitamina C e tem características antioxidantes que retardam o envelhecimento, mas, quando ingerida por quem sofre de insuficiência renal, pode causar sérios problemas. Segundo pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, a carambola produz uma neurotoxina que a protege de insetos. No corpo de pessoas com doenças renais, essa substância segue pela corrente sanguínea até o sistema nervoso central. Isso pode causar desde soluços até convulsões. Em casos extremos, a intoxicação pode matar. Para conter o problema, a única solução é a hemodiálise, feita quanto antes.
O que é PTH?
Hiperparatiroidismo secundário – visão atual de aspectos fisiopatológicos e clínicos Resumo O hiperparatiroidismo secundário desenvolve-se precocemente no curso da insuficiência renal crônica. O déficit de calcitriol e as anormalidades nos receptores de cálcio e vitamina D parecem ser os primeiros fatores desencadeantes da hipersecreção de paratormônio e da hiperplasia das paratiróides. Com o avançar da insuficiência renal crônica e principalmente no decorrer do tratamento dialítico, sobrevém a hiperfosfatemia, que passa a ser o principal fator de manutenção e agravamento do estado de hiperparatiroidismo. O difícil controle da hiperfosfatemia tem sido, na maioria dos casos, a razão do insucesso terapêutico do hiperparatiroidismo secundário. Além disso, a hiperfosfatemia persistente exerce seus efeitos deletérios de maneira sistêmica, sendo responsabilizada pelo desenvolvimento de calcificações metastáticas e calcifilaxia. A prevenção da hiperfosfatemia e do elevado produto cálcio e fósforo na insuficiência renal melhora não somente a progressão do hiperparatiroidismo secundário e da doença óssea mas também a morbidade e a mortalidade resultantes das calcificações vasculares.
POTÁSSIO
O potássio é um elemento fundamental para o funcionamento dos músculos de todo o nosso corpo, inclusive os músculos do coração. É essencial também para o bom funcionamento das células nervosas. Os rins são os órgãos que eliminam o excesso deste elemento. Assim, na insuficiência renal, o excesso de potássio não pode ser eliminado e pode trazer complicações multo sérias na atividade muscular, como fraqueza ou cãibras e principalmente para o coração, que pode ter suas contrações enfraquecidas ou até totalmente paralisadas (parada cardíaca). Sendo assim, a restrição da ingestão de alimentos ricos em potássio é muito importante e você devem conhecer quais são esses alimentos e como reduzir a quantidade de potássio da sua dieta.

ALGUNS EXEMPLOS DE ALIMENTOS RICOS EM POTÁSSIO SÃO:

Banana, mamão, damasco, pêra cristalizada e pêssego fresco, bem como seus sucos.

Hortaliças, principalmente as consumidas cruas, como por exemplo: tomate, abóbora, acelga, aipo, beterraba, chuchu, escarola, broto de bambu e rabanete.

Outros alimentos como carne, batata, feijão, soja, grão de bico, lentilha, chocolate, doce de leite, cereais integrais, amêndoa, avelã, nozes, amendoim, caldos de carne, de galinha ou de legumes, temperos concentrados para feijão, azeitona, frutas secas, café solúvel, rapadura, massa e molho de tomate ou catchup.

VEJA AGORA ALGUMAS MEDIDAS E DICAS PARA REDUZIR A QUANTIDADE DE POTÁSSIO DOS ALIMENTOS:

Qualquer hortaliça e também as frutas, mas principalmente a batata, o feijão, a abóbora, a cenoura e a batata doce podem ser preparadas da seguinte forma:

Para o feijão, a lentilha, o grão de bico e a soja, você pode fazer uma primeira fervura em bastante água e, antes que esteja totalmente cozido, desprezar a primeira água da fervura, terminando o cozimento em uma nova água. Com a primeira água de cozimento desprezada boa parte do potássio será eliminada. e os vegetais podem ser descascados e cortados em fatias finas; a seguir, deixados de molho por duas horas em uma panela cheia de água.

É importante que depois do repouso na água, sejam escorridos, enxaguados e escorridos novamente. Os vegetais devem ser então cozidos e a água do primeiro cozimento deve ser desprezada assim como foi feito com o feijão. Os vegetais podem então ser usados fritos, amassados como purê ou assados, completando molhos ou em saladas.

Alguns alimentos possuem pouca ou têm moderada quantidade de potássio e podem ser comidas com maior liberdades, não esqueça, porém, de ter a opinião de seu médico ou nutricionista sobre a quantidade Ideal que você pode consumir desses alimentos.

ALIMENTOS COM POUCA QUANTIDADE DE POTÁSSIO,QUE PODEM SER CONSUMIDOS COM MAIOR LIBERDADE:

Frutas (ou seus sucos) como caju, cereja, jabuticaba, limão, lima, uva, melancia e maracujá.

Lembre-se, no entanto, que você não deve abusar da quantidade de sucos!

Hortaliças: broto de feijão, brócolos, mostarda cozida, repolho cru e pimentão.

Os ALIMENTOS QUE CONTÊM MÉDIA QUANTIDADE DE POTÁSSIO DEVEM SER CONSUMIDOS COM MODERAÇÃO.

São eles: Frutas (ou seus sucos) como abacate, ameixa (seca ou fresca), abacaxi, amora, caqui, figo (seco),(fresco ou em calda), goiaba, kiwi, laranja, maçã, morango, nectarina, pêra, tangerina, uva e uva passas.

Hortaliças: aspargo, alface, agrião, berinjela, cenoura, cebola, couve, cogumelos, couve-flor espinafre, jiló, milho, nabo, palmito, pepino e quiabo.

 
 
 

0 Comentários: